Pais devem redobrar atenção ao uso de telas

O uso excessivo de telas, sobretudo as de uso individual, como celulares, tablets e computadores, há tempos vem sendo motivo de atenção dos profissionais de saúde. Aqui mesmo neste Blog já abordei a epidemia de miopia (link para o artigo) relacionado a esse hábito.
O assunto ganhou novo fôlego e preocupação com o lançamento no último dia 11 de fevereiro do Manual de Orientação da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), resultante de estudos do Grupo de Trabalho sobre Saúde na Era Digital dessa importante e respeitada entidade médica.
O Manual elabora uma série de recomendações a pais e responsáveis sobre como disciplinar o uso das tecnologias digitais mediadas por dispositivos tecnológicos para evitar danos à saúde física, mental, psiquiátrica e comportamental de crianças e adolescentes.
Segundo a SBP, os danos do uso excessivo de telas e que já foram comprovados envolvem:

  • Problemas visuais, miopia e síndrome visual do computador;
  • Dependência Digital e Uso Problemático das Mídias Interativas;
  • Problemas de saúde mental: irritabilidade, ansiedade e depressão;
  • Transtornos do déficit de atenção e hiperatividade;
  • Transtornos do sono;
  • Transtornos de alimentação: sobrepeso/obesidade e anorexia/bulimia;
  • Sedentarismo e falta da prática de exercícios;
  • Bullying & cyberbullying;
  • Transtornos da imagem corporal e da autoestima;
  • Riscos da sexualidade, nudez, sexting, sextorsão, abuso sexual, estupro virtual;
  • Comportamentos autolesivos, indução e riscos de suicídio;
  • Aumento da violência, abusos e fatalidades;
  • Problemas auditivos e PAIR, perda auditiva induzida pelo ruído;
  • Transtornos posturais e músculo-esqueléticos;
  • Uso de nicotina, vaping, bebidas alcoólicas, maconha, anabolizantes e outras drogas.
    Por essa razão, como médico e atendendo há décadas crianças, adolescentes e adultos na área oftalmológica, reforço as orientações da SBP em relação ao uso de telas:

Menores de 2 anos: não devem acessar as telas.
Crianças de 2 a 5 anos: 1h por dia de uso e sob supervisão de adulto.
Crianças de 6 a 10 anos: 2h por dia de uso, sempre com supervisão.
Adolescentes entre 11 e 18 anos: 2 a 3h por dia com uso em ambientes comuns. Nunca “virar a noite” jogando ou assistindo.
Todas as idades:

  • Nada de telas durante as refeições;
  • Desconectar 1 a 2h antes de dormir.

A esses cuidados, acrescente o incentivo às atividades ao ar livre, prática de exercícios e esportes, contato com a natureza, sempre que possível na companhia da família. Essas práticas favorecem o convívio e são importante combustível à saúde ocular.
O uso de telas facilita o acesso às informações, favorece a comunicação entre as pessoas e agiliza processos, mas seu uso JAMAIS pode ser motivo para se colocar em risco a saúde e a qualidade de vida de crianças, adolescentes e adultos.

#menostelas #maissaúde

Conheça a íntegra do Manual de Orientação #menostelas #maissaúde aqui (link https://www.sbp.com.br/fileadmin/user_upload/22246c-ManOrient-__MenosTelas__MaisSaude.pdf).

Abraço,
Marcelo Creppe

Marcelo Creppe – Oftalmologista
CRM 82218-SP / RQE 41042 / CBO 104.343

Related Posts

Deixe uma resposta