Moscas volantes e flashes podem sinalizar descolamento da retina

Formada por várias camadas, a retina é a membrana que reveste a parte posterior do olho, onde estão os cones e bastonetes responsáveis pela captação e envio de imagens ao cérebro. É mantida em seu local por um mecanismo próprio de adesão, auxiliado pelo corpo vítreo, que preenche o espaço interno dos olhos.

O descolamento pode ser causado pela contração do vítreo no processo de envelhecimento, que traciona a retina, podendo causar uma ruptura e seu consequente descolamento. Nesta fase, o paciente pode notar moscas volantes ou flashes luminosos.

Além do envelhecimento, a alta miopia, os fatores genéticos, o trauma ocular, as cirurgias intraoculares e a prematuridade são algumas das condições que predispõem ao descolamento de retina. Quando o descolamento de retina já está presente, o paciente observa uma sombra no campo de visão.

Para um bom esclarecimento, as moscas volantes são frequentes e causam incômodo no campo de visão. São pequenas condensações do vítreo e normalmente são de pouca importância, sendo parte do processo de envelhecimento, comum em indivíduos com mais de 60 anos e em míopes jovens. Por essa razão, o aparecimento de moscas volantes ou aumento repentino dessas condensações são sinais importantes para a saúde ocular.

Já os flashes luminosos ocorrem quando o vítreo que preenche o interior do olho traciona a retina, produzindo uma reação pelo estímulo dos cones e bastonetes semelhante a flashes luminosos.

Quando existem esses sintomas, o oftalmologista realiza o exame de mapeamento de retina e, caso detecte a presença de ruptura retiniana, pode ser indicado o tratamento com laser, com o intuito de prevenir o descolamento de retina. Também existem diversos métodos cirúrgicos para o tratamento do descolamento de retina, dependendo de cada caso.

A prevenção é muito importante e deve envolver a realização de exames oftalmológicos periódicos. Caso exista aparecimento repentino ou aumento das moscas volantes ou o surgimento de flashes luminosos, não fique em casa, procure seu oftalmologista.

Espero ter ajudado!

Abraços,

Marcelo Creppe

Médico oftalmologista

CRM 82218-SP / RQE 41042 / CBO 104.343

*A imagem utilizada nesta postagem tem função ilustrativa e não representa paciente real ou momento de atendimento.

Related Posts

Deixe uma resposta

× WhatsApp