Poucas pessoas sabem, mas o herpes também pode acometer os olhos. Chamada de herpes ocular, essa manifestação pode ser causada por dois tipos de vírus: o herpes simples e o herpes zoster, cada um resultando em um tipo de acometimento nos olhos e na pele.

O herpes simples é mais comum, geralmente afeta apenas um dos olhos, sobretudo a córnea e raramente atingindo a retina. Em alguns casos, ocorre inflamação ocular após a infecção (lembrando que infecção e inflamação são coisas diferentes).

Esse é o tipo de herpes que também causa infecção nos lábios, pele e genitais de muitos pacientes e, da mesma maneira, pode voltar em novas infecções chamadas de recidivas. O tratamento é realizado via oral com remédios que combatem o vírus. Em alguns casos, além do remédio para combater o herpes, pode ser necessário o uso de anti-inflamatórios para diminuir o processo de inflamação.

O vírus do herpes pode afetar pacientes com outras doenças oculares (alergias, após transplante de córnea…), sendo muito importante o diagnóstico diferencial com outras afecções oculares.

Isso porque, após o primeiro quadro de infecção, o herpesvírus permanece inativo (dormente ou latente) no organismo, por toda a vida, no interior das células nervosas reunidas em aglomerações (gânglios) próximo à medula espinhal, que levam as fibras nervosas à área infectada. Uma infecção latente pode não causar sintomas novamente ou pode ser periodicamente reativada e causar sintomas. Geralmente febre, menstruação, tensão emocional ou supressão do sistema imunológico pode desencadear a recidiva do quadro.

O Herpes Zoster é causado pelo vírus Varicela Zoster, que provoca tanto a catapora quanto o herpes zoster. Esse tipo de vírus costuma afetar pacientes mais velhos e atinge regiões específicas da pele, como a face e um dos olhos.

O início dos sintomas pode ser uma sensação de formigamento na testa que evolui para dor na metade da face, exantema (erupção avermelhada) doloroso na fronte e dor ocular intensa; edema palpebral, conjuntiva vermelha, edema corneano e fotofobia.

Também pode ocorrer ceratite (inflamação da córnea) e/ou uveíte (inflamação dentro dos olhos), com gravidade variável e gerar cicatrizes e outras sequelas tardias, como glaucoma, catarata, uveíte crônica ou recorrente, cicatrização corneana, neovascularização da córnea e/ou retinite com grande risco de perda visual…

Após o quadro agudo do herpes ocular, o paciente pode ficar com dor, pelo acometimento do nervo pelo vírus, a neuralgia pós-herpética. O tratamento é geralmente realizado com antivirais orais e em alguns casos pode ser necessário o uso de anti-inflatórios e colírios. Para o Herpes zoster já existe vacina e pacientes acima dos 60 anos devem conversar com seu médico para considerar a vacinação, desta maneira diminuindo o risco de ter a doença.

Espero ter ajudado!!

Abraço,

Marcelo Creppe

Médico oftalmologista

CRM 82218-SP / RQE 41042 / CBO 104.343

Related Posts

Deixe uma resposta

× WhatsApp