Gestação pode trazer impactos aos olhos

Durante 40 semanas, período da gestação, a grávida passa por mudanças emocionais, psicológicas e físicas. Muito mais do que uma barriga que não para de crescer ou enjoos, a gestação modifica praticamente todo o organismo da mulher, inclusive os olhos.

As mesmas alterações hormonais que fazem inchar, enjoar e mudar de humor são também responsáveis por provocar condições físicas capazes de causar de um simples desconforto nos olhos até um sério comprometimento da visão tanto da mãe quanto da criança em formação. Por isso, é preciso atenção ao menor sinal de sintomas.

É muito comum a queixa de olhos secos, que produzem coceira, vermelhidão, sensibilidade à luz, sensação de areia dentro dos olhos. As alterações hormonais típicas da gravidez aliadas às condições externas, como exposição ao ar condicionado, vento, fumaça e poeira, podem piorar essas queixas.

Para amenizar esses sintomas, o uso de lubrificantes oculares ajuda muito na diminuição das queixas. Além do colírio, a gestante deve evitar permanecer em ambientes com poeira ou vento excessivo. Outra recomendação é evitar o excesso de ar condicionado ou ventiladores direcionados diretamente para os olhos, bem como evitar o uso excessivo de telas (pois piscamos menos durante o uso delas).

Outra queixa comum é relacionada à alteração do grau com embaçamentos da visão, dores de cabeça aos esforços visuais. Isto porque a retenção de líquidos e o aumento de peso, típicos da gravidez, podem alterar a espessura e o formato da córnea, deixando a visão distorcida. A condição é geralmente transitória e a córnea volta ao normal geralmente seis meses após o nascimento do bebê.

Já quando a gestante se queixa de manchas escuras na visão é necessário verificar a pressão arterial sistêmica e o nível de glicose no sangue, o que reforça a importância dos exames periódicos de pré-natal. Em caso desses sintomas, a futura mamãe deve conversar com seu obstetra.

As alterações da visão decorrentes da gestação reforçam a necessidade de o acompanhamento médico. Isto garante o bem-estar e a saúde da gestante e do bebê ao longo dos nove meses.

Além disso, todas as grávidas devem manter cautela ao utilizar medicamentos, pois a medicação incorreta pode provocar diversas complicações na gravidez. A gestante deve tomar apenas remédios indicados pelo médico obstetra, mesmo que o sintoma pareça simples. Por fim, recomendo às futuras mães que mantenham o estilo de vida saudável: dieta equilibrada, repouso e abstinência de fumo, álcool ou drogas.

Uma boa gestação!!

Abraços,

Marcelo Creppe

Marcelo Creppe – Oftalmologista

CRM 82218-SP / RQE 41042 / CBO 104.343

Deixe uma resposta