PROBLEMA OCULAR PODE LEVAR A DORES DE CABEÇA

Doutor, tenho muita dor de cabeça! O que devo fazer?

Dor de cabeça, ou cefaleia, é uma queixa muito frequente nos consultórios médicos, inclusive de oftalmologia, e pode estar relacionada a diferentes causas, sendo os problemas nos olhos uma motivação bastante comum.

Ter uma dor de cabeça de vez em quando não é necessariamente um problema e pode estar relacionado à ingestão de álcool, ao consumo de determinados alimentos ou motivado por momentos de tensão e ansiedade esporádicos. Nestes casos, evitar o fator desencadeante já resolve a questão.

Quando as crises são frequentes, o diagnóstico correto e o tratamento específico tornam-se mandatórios.

No caso da origem envolver problemas oculares, a dor de cabeça pode variar de leve a moderada, mas sempre chata, que incomoda, geralmente localizada em cima dos olhos e na região da testa, e costuma aparecer após os esforços visuais.

A principal causa é a necessidade de uso de óculos, o que chamamos de ametropias. Uma vez corrigido o problema visual, há a melhora dos sintomas.

Vale a pena lembrar que uma pessoa que não necessita de óculos ou já esteja usando uma correção adequada, mas que use de forma exagerada o computador, videogame, tablet, celular, televisão, às vezes, com poucas horas de sono, terá um cansaço da visão.

A resolução para casos como esses envolvem o uso consciente das tecnologias, dormir as horas necessárias, praticar esportes e ter uma alimentação saudável, o que inclui evitar muito açúcar, café, chocolate, massas e gorduras. Isto basta para as dores desaparecerem.

O estresse e ansiedade crônica também podem ser a causa de cefaleias frequentes de adultos e também de crianças. Neste caso, a prática de esportes, relaxamento, pilates, yoga, podem auxiliar muito a diminuir a frequência e a intensidade das crises.

Existe outro tipo de dor de cabeça, a cefaleia em salvas, que é uma dor forte que atinge a região sobre o olho e é sentida em apenas um lado da cabeça, dura entre 15 minutos e uma hora, desaparece, mas volta um dia depois. Esse quadro pode continuar por semanas e não se repetir em intervalos maiores, até meses.

Não se sabem as causas exatas do problema, mas álcool e fumo, além de alimentos com muitos conservantes, estão entre os itens que podem causa-la e devem ser evitados.

Mudança de pressão no ar, principalmente devido a viagens de avião, e aumentos na temperatura também são apontados como causas comuns. Olhos podem ficar lacrimejantes e ocorrer corrimento nasal. Pacientes que sofrem desse tipo de dor reclamam da falta de eficiência dos remédios geralmente tomados.

A enxaqueca é uma dor forte, muito chata, e pode ser precedida de alterações visuais, como embaçamento transitório, flashes luminosos e cintilantes na visão e perda transitória de parte da visão, sintomas estes chamados de aura.

A enxaqueca geralmente acomete um dos lados da cabeça e costuma durar horas, em alguns casos, até dias. Quem sofre desse tipo mais severo fica sensível à luz e barulhos. As enxaquecas devem ser tratadas pelo neurologista.

Já a sinusite, você já deve ter ouvido falar, é a inflamação dos seios da face, causando uma dor na região acometida. Se a sinusite for do seio maxilar, a dor de cabeça vai aparecer na maçã do rosto, abaixo dos olhos, de um lado ou de outro, ou dos dois lados. Junto com a dor de cabeça, aparecem geralmente sintomas nasais, como entupimento, secreção, corrimento nasal claro ou amarelado. O otorrinolaringologista deve ser consultado.

Na dúvida sobre qual tipo de dor de cabeça é a minha, posso me automedicar? Não, pois pessoas que consomem remédios para dores com frequência acabam tendo mais crises de dores de cabeça, principalmente se os ingeridos são aspirina, ibuprofeno e paracetamol.

Os medicamentos tornam o cérebro mais sensível a dores, intensificando o problema e colocando o paciente num círculo vicioso, gerando outro problema de saúde.

Embora os tratamentos mais comuns envolvam o uso de analgésicos, é necessário lembrar que se as dores são acompanhadas de outros sintomas, como náuseas, febre, visão dupla, as causas podem ser mais sérias, como meningite, aneurismas, tromboses ou tumores, portanto, nunca dispense uma boa avaliação médica.

 

Abraços a todos!

Marcelo Creppe – Oftalmologista
CRM 82218-SP / RQE 41042 / CBO 104.343

Deixe uma resposta